AvantGarde > Acontece > Tudo sobre esportivos! > Porsche, uma história de corridas – parte 1

Porsche, uma história de corridas – parte 1

1 de novembro de 2017 / 224 / Tudo sobre esportivos!
Porsche 550 Spyder
Facebook It
Tweet It
Pinterest It
Google Plus It

Ao longo da história, o desafio de superar a si mesmo e aos outros, fez a humanidade evoluir. No mundo dos automóveis não foi diferente. As maiores melhorias técnicas que os carros possuem advém das guerras automobilísticas, também conhecidas como corridas. Ser cada vez mais rápido sempre foi o desejo dos homens com suas máquinas de rodas. Os cavalos, antigos propulsores, foram substituídos por motores, que homenageiam seus percursores animais com a medida de potência. A Porsche foi criada com o desafio de produzir carros rápidos e eficientes, usando e abusando das corridas como laboratório.

Vídeo

Veja também:

PORSCHE 911 TURBO, MAIS QUE UM SONHO DE CONSUMO

PORSCHE BOXSTER, RETORNANDO ÀS ORIGENS

Porsche 64, para o primeiro Porsche, a primeira corrida

Ferdinand Porsche havia criado o Fusca para a Volkswagen a mando de Hitler. Usando a base desse carro que fez a história do automóvel, ele criou o Porsche 64. Um carro esportivo, construído com peças do Fusca (que se chamava Type 60) e motor modificado para produzir 50cv (originalmente com 25 cv) e alcançar 153 km/h e carroceria aerodinâmica. A proposta foi apresentada aos responsáveis pela Volkswagen e rejeitada por não estar de acordo com a imagem de austeridade do governo nazista. Entretanto, com a oportunidade de demonstrar a superioridade da engenharia alemã e o fusca ao mundo ao mesmo tempo, foi marcada para 1939 uma corrida entre Berlin e Roma. Porsche foi autorizado a construir 3 protótipos chamado Type 114, que ficaram prontos a tempo, mas a corrida não aconteceu. Um deles foi destruído durante a guerra, o segundo teve o teto cortado e transformado em carro de passeio pelos americanos que o encontraram em um galpão. Já o terceiro ficou de posse da família Porsche. Reformado por Pininfarina em 1947 e vendido para para o motocilcista austríaco Otto Matte, que venceu com ele o Rally Alpino em 1950. A última vez que ele o dirigiu foi na Monterey Historic Races em Monterey, Califórnia, 1982.

 

Porsche 64

O Porsche 64 foi o primeiro carro de corrida da marca, baseado no Fusca ele originou a tecnologia que seria usada nos primeiros modelos.

 

Porsche 360 Cistalia, um sonho de liberdade

1946, a guerra acabara e Ferdinand Porsche estava preso por crimes de guerra. O entusiasta de corridas italiano Piero Dusio contratou a Porsche para desenvolver um carro de corridas para sua pequena fábrica chamada  Cistalia. O dinheiro pago ajudou a libertar Ferdinand Porsche. Propulsionado por um boxer de 12 cilindros, chamado na época de  V12 em 180 graus, com supercharger de dois estágios. O motor 1.5 partiu do projeto de 327 cv e alcançou 385 cv a 10500 rpm e 320 km/h de máxima. O chassi era tubular cromo – molibdênio e com tração nas quatro rodas com câmbio sequencial. Infelizmente o bólido nunca chegou a disputar uma corrida e a Cistalia fechou as portas no início da década de 50. A tampa do caixão foi fechada quando a Fórmula 1 proibiu motores sobrealimentados em 1952.

 

Cistalia

O Cistalia 360 rendeu a liberdade de Ferdinand Porsche em 1946.

 

O icônico Porsche 550 Spyder

O ano era 1952 e no Paris Motor Show, surgia um ícone da Porsche. O Porsche 550 possuía dois lugares, carroceria aberta de alumínio, cobrindo um chassi tubular com motorização central. O motor era de 1,5 litros, refrigerado à ar boxer, tudo isso em apenas 550 kg. Com apenas 1,050 m de altura, a largura de 1,540 m o bólido era muito rápido. 110 cv e 196 km/h de máxima, deu a Porsche sua primeira vitória geral em uma competição de grande porte. Embora a Porsche já competisse com o 356 por muitos anos, o 550 se diferenciava por ser o primeiro modelo da fábrica desenhado para este propósito. O sucesso nas 24 horas de Le Mans de 1954, onde ele venceu em sua categoria. O Porsche 550 Spyder era tão baixo que Hans Hermman o dirigiu sob uma cancela fechada na Mille Miglia de 1954. Isso rendeu a lenda de que era usado por fugitivos da Alemanha Oriental do mesmo modo. Ele foi inspiração do atual Porsche Boxster e infelizmente, pilotando um desses, o mundo perdia James Dean.

 

Porsche 550 Spyder

O Porsche 550 Spyder era rápido e deu início às vitórias da Porsche, na imagem James Dean, que infelizmente morreu pilotando esse modelo.

 

Porsche 718 e o sucesso

Entre 1957 e 1962 Stuttgart produziu o Porsche 718. Com início do projeto em 1953 o objetivo era ser vitorioso. O plano passou por um motor Boxer de 4 cilindros que se destacou pela performance em curva e deu início a uma serie de veículos de competição com motor central. O inicialmente chamado Porsche 787 se converteu em Porsche 718 RS-K e competiu na Formula 2 vencendo em 1957 e 1958. Na fórmula 1, entre 1961 e 1964 conseguiu um segundo e um quarto lugares. Em 1960 o Porsche 718 RS 60 Spyder com 160 cv venceu as 12 horas de Sebring e a Targa Fiorio. Em 1961 venceu o European Hill Climb Championship pelo terceiro ano seguido. A versão de 2 Litros, Porsche 718 W-RS Spyder chegou em oitavo lugar em Le Mans e continuou vencendo o European Hill Climb Championship. Competição que a Porsche dominaria até 1982. Por fim o 718 GTR venceu a Targa Fiorio de 1963. A trajetória de sucesso o consagrou em pouco mais de 10 anos, mais de 1000 vitorias em competições.

 

Porsche 718

O Vitorioso Porsche 718 iniciou a sequência de vitórias da Porsche

 

Vem mais por aí

A década de 1960 viria recheada de vitórias da Porsche e a consagração definitiva no mundo das competições. Esse é um assunto para a parte 2 dessa série exclusiva sobre a História de Competição da Porsche.

Você pode gostar também

AMG CLA 45 o número 1 nos rankings
8 de fevereiro de 2018
Range Rover Evoque HSE Conversível
1 de fevereiro de 2018

Leave your comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisando de uma ajuda para escolher um veiculo?

Entre em contato